Um dos mais famosos museus de Lisboa, o Calouste Gulbenkian fica localizado no mesmo endereço da Fundação que leva o nome de um industrial armênio que se fixou em Portugal no século XX.

O projeto arquitetônico do local, que se deve aos arquitetos Alberto Pessoa, Ruy de Athouguia e Pedro Cid, vale a pena ser conferido.

Com exposição de peças de arte moderna e antiga, além da enorme coleção de seu fundador, o museu é parada obrigatória para quem gosta do assunto.



História do Museu Calouste Gulbenkian



Criado em 1969, o museu reuniu a coleção do industrial Calouste Sarkis Gulbenkian, um armênio que, desde muito cedo, colecionou objetos de arte.

Tudo o que é exposto no museu faz parte de sua coleção de itens pessoais, doados a Portugal pouco antes da sua morte, em 1955.

Em 2001, o Calouste Gulbenkian passou por uma renovação e, por isso, parte de suas obras foi exposta temporariamente em Nova Iorque, no Metropolitan Museum.

O que encontrar no museu Calouste Gulbenkian



A coleção do magnata reúne obras que vão desde o ano 2000 a.C. até os dias de hoje.

Entre os itens mais interessantes podemos listar a coleção de moedas helênicas, obras orientais de porcelana, peças romanas e as joias greco-romanas.

A boa notícia é que, aos domingos, a entrada no local é gratuita. Durante a semana – exceto terça, quando ele está fechado – o ingresso custa 14 euros para ver exposições e coleções.

Gostou da dica? Que tale explorar as belezas de Portugal sem data para voltar? A Horizon Portugal te ajuda a obter cidadania portuguesa e vistos.

Ler mais notícias